Vista Panorâmica da Bíblia

Sejam Bem Vindos ao nosso blog.



Aos nossos queridos irmãos que estão estudando a revista "Vista Panorâmica da Bíblia" na Escola Bíblica da nossa igreja criei um atalho para facilitar a busca de subsidios.



Do lado direito da página existe um titulo "Marcadores" com o link para "Panorâma Bíblico".

Você poderá navegar pelos livros da Bíblia e estudos anexados.



Deus te abençoe e muito obrigado pela visita.



Deixe um recado e seja um seguidor deste blog.



Um abraço, Pr. Samuel Villon.



domingo, 11 de abril de 2010

As tribos ao redor do Tabernaculo.






Embalando a Mobília Santa
Coatitas

Os Coatitas estavam encarregados de levar a mobília do tabernáculo. Quando o acampamento era levantado, Arão e seus filhos tinham a tarefa de desmontar e embalar os objetos sagrados. Aos Coatitas não era permitido tocar estes objetos, ou até mesmo vê-los, para que eles não morressem.

Nm 4:1-16 " 1 E FALOU o SENHOR a Moisés e a Arão, dizendo: Fazei a soma dos filhos de Coate, dentre os filhos de Levi, pelas suas famílias, segundo a casa de seus pais; Da idade de trinta anos para cima até aos cinqüenta anos, será todo aquele que entrar neste serviço, para fazer o trabalho na tenda da congregação. Este será o ministério dos filhos de Coate na tenda da congregação, nas coisas santíssimas.
Quando partir o arraial, Arão e seus filhos virão e tirarão o véu da tenda, e com ele cobrirão a arca do testemunho; E pôr-lhe-ão por cima uma coberta de peles de texugos, e sobre ela estenderão um pano, todo azul, e lhe colocarão os varais. Também sobre a mesa da proposição estenderão um pano azul; e sobre ela porão os pratos, as colheres, e as taças e os jarros para libação; também o pão contínuo estará sobre ela. Depois estenderão em cima deles um pano de carmesim, e com a coberta de peles de texugos o cobrirão, e lhe colocarão os seus varais. Então tomarão um pano azul, e cobrirão o candelabro da luminária, e as suas lâmpadas, e os seus espevitadores, e os seus apagadores, e todos os seus vasos de azeite, com que o servem. 10 E envolverão, a ele e a todos os seus utensílios, na coberta de peles de texugos; e o colocarão sobre os varais. E sobre o altar de ouro estenderão um pano azul, e com a coberta de peles de texugos, o cobrirão, e lhe colocarão os seus varais. Também tomarão todos os utensílios do ministério, com que servem no santuário; e os colocarão em um pano azul, e os cobrirão com uma coberta de peles de texugo e os colocarão sobre os varais. E tirarão as cinzas do altar, e por cima dele estenderão um pano de púrpura. E sobre ele colocarão todos os seus instrumentos com que o servem: os seus braseiros, os garfos e as pás, e as bacias; todos os pertences do altar; e por cima dele estenderão uma coberta de peles de texugos, e lhe colocarão os seus varais. Havendo, pois, Arão e seus filhos, ao partir do arraial, acabado de cobrir o santuário, e todos os instrumentos do santuário, então os filhos de Coate virão para levá-lo; mas no santuário não tocarão para que não morram; este é o cargo dos filhos de Coate na tenda da congregação. Porém o cargo de Eleazar, filho de Arão, o sacerdote, será o azeite da luminária e o incenso aromático, e a contínua oferta dos alimentos, e o azeite da unção, a cargo de todo o tabernáculo, e de tudo que nele há, o santuário e os seus utensílios."



Objeto de atenção especial era a Arca da Aliança. Em primeiro lugar os sacerdotes tiravam o véu e usaram-no para cobrir a arca. Depois disto cobriram-na com peles de texugo e acima de tudo, estendiam um sólido tecido azul. Ao terminar, os levitas colocavam os varais.

Os outros itens também receberam três cobertas diferentes, mas neles a impermeável pele de texugo estava por último. Somente a Arca da Aliança na salientava o azul, e que todo o povo poderia identificá-la com o Senhor que os conduziu.


Depois que os procedimentos de cobertura fossem completados, o Coatitas removiam a mobília sob a supervisão do sacerdote Eleazar que tinha o encargo do santuário, e era responsável pelos levitas que lá trabalhavam.

Gersonitas

Feito isto, vinham então os Gersonitas para desmontar os objetos do tabernáculo. Eles removiam as cortinas e cobertas que cobriam o santo lugar, juntamente com todas as peças da cerca de linho:


Nm 4:24-28 " Este será o ministério das famílias dos gersonitas no serviço e no cargo. Levarão, pois, as cortinas do tabernáculo, e a tenda da congregação, e a sua coberta, e a coberta de peles de texugos, que está por cima dele, e a cortina da porta da tenda da congregação, e as cortinas do pátio, e a cortina da porta do pátio, que está junto ao tabernáculo, e junto ao altar em redor, e as suas cordas, e todos os instrumentos do seu ministério, com tudo o que diz respeito a eles, para que sirvam. Todo o ministério dos filhos dos gersonitas, em todo o seu cargo, e em todo o seu trabalho, será segundo o mandado de Arão e de seus filhos; e lhes designareis as responsabilidades do seu cargo. Este é o ministério das famílias dos filhos dos gersonitas na tenda da congregação; e a sua guarda será debaixo da mão de Itamar, filho de Arão, o sacerdote."

Isto era feito sob a supervisão do filho de Arão, Itamar.

Meraritas

O Meraritas desmontavam as armações do tabernáculo - as suas tábuas e barras. Então eles removiam todos os postes, as estacas, e as cordas que apoiavam a cerca de linho ao redor do átrio exterior.


A MARCHA





Por este tempo todo o povo estava pronto para viajar de um modo muito organizado.

A Arca conduzia a jornada.
Em primeiro lugar a Arca da Aliança sendo o símbolo do comando divino foi levantada. As varas descansaram nos ombros dos Coatitas que então marchavam à frente do povo, com a arca sobre os ombros. Alguns textos das Escrituras:

Nm 10:33-36 " Assim partiram do monte do SENHOR caminho de três dias; e a arca da aliança do SENHOR caminhou diante deles caminho de três dias, para lhes buscar lugar de descanso. E a nuvem do SENHOR ia sobre eles de dia, quando partiam do arraial. Acontecia que, partindo a arca, Moisés dizia: Levanta-te, SENHOR, e dissipados sejam os teus inimigos, e fujam diante de ti os odiadores. E, pousando ela, dizia: Volta, ó SENHOR, para os muitos milhares de Israel. "


Js 3:3-4 " E ordenaram ao povo, dizendo: Quando virdes a arca da aliança do SENHOR vosso Deus, e que os sacerdotes levitas a levam, partireis vós também do vosso lugar, e seguireis. Haja contudo, entre vós e ela, uma distância de dois mil côvados; e não vos chegueis a ela, para que saibais o caminho pelo qual haveis de ir; porquanto por este caminho nunca passastes antes."

Na jornada conduzida pela coluna de nuvem, os Coatitas que levavam a arca, e o povo seguiram. A tribo de Judá , em primeiro lugar assumiu sua posição e marchou à direita, atrás da arca. À seguir, no centro estava Issacar e à esquerda, Zebulom.

Vinham então, as famílias dos Levitas, de Gérson e Merari que estavam utilizando os carros de boi para transportar toda a estrutura e as cobertas do tabernáculo. Os Gersonitas tinham dois carros cobertos, puxados por quatro bois, enquanto que os Meraritas com a sua carga mais pesada, tinham quatro carros e oito bois.

Eles foram seguidos por Rúben, Simeão e Gade, . Atrás deles vinham os Coatitas que traziam em seus ombros os artigos santos da mobília (exceto a arca). Então, na marcha, a mobília do tabernáculo estava ao centro com e as seis tribos restantes que seguiam atrás como você pode ver na ilustração:



O Tabernáculo era uma tenda portátil com uma armação de madeira, para dar estabilidade.


O Santuário inteiro consistia em três partes:


1. Um átrio exterior incluído por cortinas apoiadas em pilares. Era oblongo na sua forma, e a entrada estava no lado oriental.
2. O altar do sacrifício (altar de bronze) estava dentro do átrio, em frente da entrada.
3. O próprio Tabernáculo, localizado à parte ocidental do átrio. O Tabernáculo foi dividido por um véu ou cortina pendente em duas câmaras. A primeira câmara foi chamada o Lugar Santo, continha a Mesa, o Candelabro, e o Altar do Incenso. Só os sacerdotes eram permitidos nesta parte. A segunda câmara foi chamada de Santo dos Santos, continha a Arca da Aliança. O Sumo Sacerdote entrava no Santo dos Santos uma só vez ao ano, no Dia da Expiação.
Os objetos mais interiores para o Santo dos Santos foram construídos de metais preciosos e tecidos. O Tabernáculo foi coberto por uma tenda, e revestido de tecidos adicionais.


A área do Tabernáculo era de 50 m de comprimento e 25 m de largura. Havia uma cortina de 2,5 metros, feita de linho fino branco, que foi firmado em 60 suportes de apoio de bronze, que cercavam, e com uma entrada pelo portão oriental. Dentro do átrio exterior estavam dois artigos de mobília, o altar de bronze, onde todos os sacrifícios eram feitos, e a pia de bronze, onde os sacerdotes lavavam as suas mãos e os pés.
O Tabernáculo construído estava ao fim do átrio ocidental e era uma estrutura de madeira revestida de ouro, de 15 x 5 m, divididos em duas partes por uma cortina pesada chamada o “Véu”. A entrada era uma cortina colorida suportada por cinco pilares. A maior área construída do Tabernáculo (10 x 5 m), foi chamada “o Santo Lugar”, e ali foi colocado três artigos de mobília dourada. O candeeiro de ouro que iluminava os pães da preposição à esquerda, a mesa dos pães da preposição que representava o povo de Deus à direita, e o altar dourado de incenso na parte de trás, o que fala de fazer orações continuamente. A menor parte construída (5 x 5 m) do Tabernáculo foi chamada de “Santo dos Santos” e continha apenas a Arca da Aliança (a Arca que continha as duas tábuas da Lei), e sua tampa, o propiciatório, onde o sangue era aspergido uma vez por ano pelo Sumo Sacerdote, no Dia da Expiação. Tudo no Tabernáculo era portátil, de modo que, se a nuvem de glória (Heb. Sh’chinah) se movia, eles se moviam, e também a Arca. (Ver Num 10:33-36).
Eles precisavam aprender que era Yahweh quem estava acampado entre eles. Como os Israelitas marcharam no deserto, os Levitas (tribo Sacerdotal) desmontavam o Tabernáculo, e, a Arca era levada pelos sacerdotes, em duas varas, então eles iam com a nuvem de glória sobre eles. Havia três famílias procedentes da tribo de Levi que eram responsáveis para o transporte dos artigos do Tabernáculo. O povo de Deus tinha que perceber que eles eram peregrinos aqui e quando Deus ordenasse que se movessem, eles precisavam estar prontos. Há algumas coisas muito importantes para se notar quanto à condição do homem ao estudar o Tabernáculo.
Depois do colapso de fé deles, Deus criou algo que atrairia notavelmente os seus cinco sentidos, assim eles se lembrariam de que eram o povo de Deus. Ao longo do Antigo Testamento, Deus teve que estimular os sentidos, porque depois de Adão, e até o tempo de Jesus, o homem estava espiritualmente morto. Deus é Espírito, e todo o homem conhecia os cinco sentidos (com os quais ele poderia ver, tocar, provar, ouvir e cheirar). O Senhor começaria aqui no Tabernáculo a entesourar o povo de Israel com cerimônias e rituais, de forma que eles se lembrariam dEle. Deus começaria a vincular um sentido ao povo por Ele governado, com algo espiritual, de forma que eles teriam fé simplesmente pelo que eles viam.
Ele começou lhes dando uma estrutura física chamada o Tabernáculo, com toda sua mobília, sacerdócio e ofertas. Então, Ele lhes daria sacrifícios diários (memoriais) e orações, sábados semanais, banquetes e festas, alimentos limpos e imundos, e muitas outras cerimônias e leis escolhidas, que seriam todas lembranças físicas que culminavam para o Homem que viria, que seria o Messias.
Eles eram tão envolvidos em suas tradições e rituais que, quando Jesus veio, Ele que era a realização de todas as cerimônias, eles estavam completamente em trevas e não O reconheceram e acabaram forçando, o governador romano a crucificá-lO. Mas, Deus, em Sua maravilhosa onisciência, soube disto e planejou tudo desde o princípio. Por isso, Ele instituiu o sangue como o meio de redenção.
Assim, o Tabernáculo era o princípio das lembranças visíveis de um Deus que é Espírito e de Seu plano. Tudo no Tabernáculo era um tipo de Jesus. Por isso, é que Deus era tão específico sobre o que eles iam construir com isto. Eles não puderam usar um mínimo de imaginação humana “para que não morram”. Ouro, prata, bronze, o linho branco fino, as quatro cores, o óleo da unção, o incenso, tudo apontava Àquele que, “se tornou carne e habitou (literalmente, tabernaculou) entre nós”.
Jesus disse “eu não vim destruir a Lei e os profetas, mas os cumprir”. Não é nenhuma maravilha que quando Jesus foi trespassado Ele bradou: “está consumado”. E o véu do tempo foi rasgado pelo meio. O que foi consumado? O cerimonial do Antigo Testamento inteiro, moral, e o direito civil foi pregado àquela cruz fora de Jerusalém. Ele veio ser a incorporação e realização da própria Lei.

Se lembre do que a Palavra diz, “toda a Escritura é divinalmente inspirada (inspiração de Deus) por Deus...”
Quando nós olharmos a Bíblia, lembremo-nos de que é completamente inspirada por Deus. Toda Palavra é divinamente inspirada. Isso era a visão de Cristo, quanto às Escrituras, que era a visão dos apóstolos e que deve ser a nossa visão. Esta é a mesma Palavra de Deus. Não apenas contém a Palavra de Deus, ou apenas uma experiência religiosa, ela é a Palavra de Deus.
É então algo maravilhoso que cada e todo detalhe da Palavra sobre o Tabernáculo, tem significado espiritual? Quando olhamos à estrutura do Tabernáculo, e suas partes da redenção, sem igual, vemos na mobília grande simbolismo e tipologia encontrados nelas. Lembre-se, que tudo estava apontando o dedo para o Messias. O Tabernáculo, como um tipo, especificamente, e em detalhes foi projetado por Deus, apontando ao caráter e aspectos do Ministério de Cristo. Quando Jesus estava acusando as autoridades judaicas Ele disse, “vocês transformaram a Casa de Meu Pai em um covil de ladrões”, e dizendo, “Meu Pai”, eles souberam que Jesus estava reivindicando autoridade messiânica acima do templo, e assim disseram, “que sinal tu nos mostra para que faça essas coisas?” Veja o que Ele disse em Jo 2:19-21.
Eles estavam olhando a estrutura física (Heb. Mikdash) no templo, mas Jesus disse, “destruam este templo”, Ele usou a palavra hebraica “Mishkan” que era a palavra usada no Antigo Testamento para referir a Presença que iluminou o Santo dos Santos, por ocasião do Yom Kippu, no Tabernáculo ou Templo. Jesus disse que “eu sou o Templo (MIshkan) de Deus”. Quando a glória (Heb. Sh’chinah) viria abaixo de um tornado ou como um funil por cima do Santo dos Santos, a Presença se manifestaria no propiciatório entre os querubins depois do sangue ter sido aspergido, que era o Mishkan. Aquela Presença foi o que Jesus disse que habitava dentro dEle. E de fato, Paulo disse sobre a igreja, “Não sabeis que sois templo (Mishkan) de Deus?” Nós, como o Corpo de Cristo, temos a mesma Presença, que habita em nós. Deus não mora agora em edifícios, mas dentro do Seu povo. Rm 10 diz que: “Se confessares com a tua boca que Jesus Cristo é Yaweh (Senhor) e crê em seu coração que Deus O ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. “Isto é fácil. A partir desse ponto você se torna o Mishkan de Deus. Quando Deus disse-lhes “Deixe-me fazer um santuário que eu possa habitar entre eles”, Ele disse literalmente “dentro” deles. O plano de Deus sempre foi habitar dentro dos que Lhe pertencem (Jr 31:31-33) e pôr o Espírito dEle dentro de nós. Quando você aceita Jesus, você se torna o Mishkan de Deus.


Tudo aponta à Jesus Cristo. Tudo é uma figura dEle. (ver Jo 1:12-14).

Tipologia e peças do Tabernáculo:
• Tabernáculo > considerado a grande Tipologia do Plano de Salvação, uma ordenança de Deus a Moisés para proteção e orientação do povo de Deus.
• Altar do Sacrifício > cruz do calvário
• Pia de Cobre > Santificação (quando aceitamos a Jesus)
• Mesa dos pães asmos > Jesus é o pão da vida
• Altar do incenso > oração
• Candeeiro de ouro > testemunho (Jesus luz do mundo)
• Arca da Aliança > plenitude à Santidade de Deus (Justiça de Deus)

Materiais (ordenados por Deus)
• Ouro > Divindade de Cristo
• Prata > Redenção
• Bronze > Juízo (Cristo levando sobre si nossa punição)
• Madeira de acácia > fala da humanidade incorruptível de Cristo
• Óleo > a unção do Espírito
• Especiarias para o óleo e incenso > doce e suave fragrância para Deus.

As quatro cores:
• Azul > céu
• Púrpura > Realeza
• Fio de escarlata > Sacrifício de Cristo em nosso lugar
• Branco (linho fino) > Pureza e perfeita justiça de Cristo

Nenhum comentário:

Postar um comentário